PESQUISA DE CLIMA ORGANIZACIONAL: ENTENDA COMO COLOCAR NA PRÁTICA

Um dos maiores desafios empresariais é manter um equilíbrio saudável entre as expectativas da alta gestão e as demandas e possibilidades de toda a equipe. Essa tarefa exige esforço cotidiano, que só ganha efetividade com o uso de uma ferramenta estratégica: a pesquisa de clima organizacional.

Mais do que uma pesquisa de satisfação dos funcionários, essa ação é importante para aprimorar os processos e práticas internas, melhorar o engajamento das equipes e, na ponta final, aumentar a competitividade da empresa. Quer saber mais sobre esse assunto e aprender a implementar uma pesquisa sólida na sua organização? Então continue lendo!

 

O que é uma pesquisa de clima organizacional?

A pesquisa de clima é uma importante ferramenta de gestão, que busca avaliar como os funcionários estão se relacionando com a empresa em diferentes aspectos. Isso envolve desde a avaliação de salários e benefícios, passando pelo contato com gestores e colegas, práticas implementadas na empresa e política organizacional.

O objetivo principal é avaliar se a cultura organizacional ideal está próxima da realidade do negócio ou se existem ruídos ou problemas na gestão de pessoas precisam ser corrigidos. Ou seja, a pesquisa de clima organizacional dá aos gestores informações extensas e de qualidade para a tomada de ações estratégicas.

 

Quais as vantagens da pesquisa de clima organizacional?

Uma pesquisa bem planejada e executada traz resultados reais para a empresa — que podem, inclusive, ser mensurados. O primeiro aspecto diz respeito à produtividade da equipe. Profissionais não engajados produzem menos e têm menos vontade de inovar ou aprimorar processos. A pesquisa de clima ainda ajuda a empresa a identificar a necessidade de implementar ou melhorar os seus treinamentos, qualificando mais a equipe.

O segundo ponto é a própria melhoria da gerência: a pesquisa é uma oportunidade para que as lideranças vejam de forma clara quais das suas ações e decisões não estão surtindo o efeito esperado, corrigir as políticas organizacionais e melhorar a interação com colaboradores na busca por resultados positivos.

Por fim, a vantagem mais simples é a própria melhoria do clima organizacional. Simples, mas poderosa: empresas harmônicas atraem e retêm talentos e ainda conseguem expandir a melhoria das relações internas para o contato com agentes externos, em especial fornecedores e clientes.

 

Como implementar essa ferramenta na minha empresa?

Para ser realmente efetiva, a pesquisa de clima organizacional exige disciplina, planejamento e controle em todas as etapas. Afinal, estamos falando de uma ação que envolve toda a organização de forma profunda e que exige excelência para que os resultados esperados sejam alcançados.

Para te guiar nesse momento, vamos falar de cada passo. Acompanhe:

 

Definição do escopo da pesquisa

Um bom planejamento de pesquisa começa com a definição clara de quais aspectos organizacionais serão analisados e quais os objetivos buscados com essa ação. A pesquisa pode se restringir a avaliar uma determinada questão, como a adesão dos colaboradores a uma nova tecnologia implementada na empresa, mas também pode ser ampla, abordando aspectos que vão desde o relacionamento com lideranças até a avaliação da comunicação interna da empresa.

Quando isso é feito logo no início do processo, é mais fácil identificar o que a empresa precisa entender sobre si mesma e seus colaboradores e, ainda, o que será feito dessas informações ao final do processo.

 

Criação de um plano de pesquisa

Depois de definir o que quer saber, a empresa precisa escolher a melhor maneira de captar essas informações. Isso passa pela criação de uma metologia de pesquisa eficiente, com a elaboração de um guia de perguntas que serão respondidas pelos funcionários.

É importante que as perguntas sejam claras e que o questionário seja convidativo. Motivar um colaborador a responder a uma lista enorme de questões discursivas, por exemplo, pode ser praticamente impossível. Portanto, tão importante quanto saber o que perguntar é saber como perguntar para obter respostas igualmente claras.

Para garantir o engajamento com a pesquisa, é importante estabelecer canais efetivos de comunicação para informar à sua equipe por que aquela pesquisa está sendo realizada, como ela será importante para a melhoria das práticas e políticas internas e, por fim, para assegurar a confidencialidade.

O sigilo é importante para a obtenção de respostas sinceras e completas, ou seja, para que os funcionários saibam que não terão represálias por expressarem suas preocupações ou insatisfações.

 

Coleta de dados

Com objetivos e metodologia definidos, chegou a hora de aplicar a pesquisa de satisfação. O importante aqui é garantir a logística adequada para que todos os funcionários tenham a oportunidade de responder ao questionário com o tempo e ambientes adequados.

Para isso, podem ser utilizadas diversas estratégias, desde o uso de folhas de perguntas e respostas tradicionais ou computadores e tablets. A opção deve levar em conta os recursos da empresa e, principalmente, garantir a privacidade do funcionário no momento do preenchimento para que não haja distorções nos resultados.

 

Análise e divulgação do resultado pesquisa

Com a pesquisa realizada, chega o momento de avaliar os resultados. Compile os dados, os organize por eixos temáticos e elabore relatórios e gráficos que permitam aos gestores ter uma visão ampla do que foi coletado. Esse é o momento de se debruçar sobre os dados e transformá-los em informação útil e estratégica.

O próximo passo é assegurar a transparência da ação e divulgar os resultados de maneira clara para lideranças e demais colaboradores. Aqui, o cuidado deve ser com as ações de comunicação, que podem passar pelo simples envio do relatório final para os colaboradores até ações mais amplas, como uma reunião ou palestra sobre os resultados da pesquisa de clima organizacional.

 

Elaboração de um plano de ações

Mesmo com a entrega dos relatórios finais, não pense que o trabalho acabou. É preciso transformar as informações coletadas em ações efetivas. Aliás, esse é o momento-chave para avaliação da pesquisa: se ela deu subsídios para a melhoria da empresa, pode ser considerada um sucesso.

Mais uma vez, não se esqueça de mostrar à sua equipe o que será feito para que os problemas detectados na pesquisa sejam corrigidos de maneira rápida e que as insatisfações sejam diminuídas. Assim, o ciclo de aprimoramento se fecha e é dado um passo decisivo para a harmonia no ambiente de trabalho.

 

Extraído de Blog Especialização – Fundação Dom Cabral 29 de junho de 2017

https://tinyurl.com/y7gedxc9